Crédito rotativo: saiba como funciona

O crédito rotativo é uma alternativa para quem utiliza o cartão de crédito para realizar compras, fazer pagamentos e até mesmo para situações mais emergentes, em que há opção de pagar um valor menor ao total da fatura.

Embora seja bastante utilizado em nosso país, ainda há muitas pessoas que desconhecem este sistema, o que inevitavelmente provoca um descontrole financeiro, podendo, inclusive, levar a uma negativação de crédito ao devedor.

Se este mesmo problema já ocorreu com você, então tenha em mente que é de crucial importância conhecer mais sobre ele e entender quais são as novas regras do crédito rotativo que, por se tratar de um empréstimo, também são aplicados juros para sua utilização.

A seguir, continue lendo para tirar suas dúvidas acerca do tema e evitar complicações financeiras!

O que é crédito rotativo?

O crédito rotativo é um modelo de empréstimo concedido aos clientes que realizam o pagamento da fatura até a data de vencimento em valor superior ao mínimo, mas que também seja inferior ao valor total da fatura.

Por isso, quando o consumidor paga apenas um percentual menor que o valor total, o saldo restante entra na fatura do mês seguinte. E, como tal, sobre o valor em aberto são cobrados juros.

Em termos práticos, isso significa que entrar em rotativo, nada mais é que pagar juros em cima do valor que não foi possível quitar até a data esperada.

No entanto, observe que os juros aplicados para esta modalidade estão entre os mais caros do mercado.

Ao se deparar com esta situação, a recomendação mais adequada é entrar em contato com a instituição financeira para tentar uma negociação de pagamento. Em alguns casos, por exemplo, é oferecido um parcelamento do saldo do crédito rotativo, também conhecido como parcelamento da fatura.

Fora isso, é importante saber que existem duas categorias de crédito rotativo, como você pode notar a seguir:

Regular

O crédito rotativo regular é utilizado quando o cliente quita o valor mínimo e a quantia intermediária da fatura. Isto é, o valor informado à instituição credora no documento de cobrança.

Porém, o que resta a ser pago é disposto para o mês seguinte, com aplicação de tarifas e juros altos, em média de 13% ao mês.

Não-regular

Se refere às situações em que não é realizado o pagamento total da fatura ou um valor abaixo do mínimo estipulado pela empresa.

Em relação a esta categoria, ela apresenta as piores condições do mercado, até mesmo ao ser comparada ao crédito rotativo regular. Sobretudo, seus juros podem chegar a expressivos 375% ao ano.

Como funciona o crédito rotativo do cartão?

Tendo em vista que esta modalidade possui algumas das taxas de juros mais altas do mercado, o Conselho Monetário Nacional (CMN) instituiu algumas regras em 2017 para evitar que algumas pessoas entrem em um ciclo de endividamento.

Entre elas, é a de que o crédito rotativo pode durar no máximo 30 dias. A partir desse período, o titular deve pagar o valor integral ou realizar o parcelamento com juros menores.

De qualquer forma, se o valor não for pago, o cliente não poderá utilizar o novo limite de crédito.

Em 2018, as regras foram novamente alteradas. Portanto, as empresas credoras são livres para usar seus próprios critérios para determinar o valor mínimo que um cliente possa pagar.

No entanto, os clientes estão proibidos de pagar juros altos sobre créditos rotativos na categoria regular se não pagarem o total de suas faturas ou um valor abaixo do mínimo da categoria regular.

Em outras palavras, tais juros precisam ser equivalentes aos de quem pagou na data, com somados a uma multa 2% e 1% ao mês de juros de mora.

Resumindo, os juros de mora se referem às taxas cobradas em relação ao atraso do pagamento, segundo o período de tempo.

Como não entrar no crédito rotativo?

Para não entrar no crédito rotativo, existem algumas ações que você pode tomar para se livrar das dívidas. As principais dicas são:

Controle os seus ganhos e gastos mensais

É importante ter conhecimento sobre quanto você gasta e ganha mês a mês. Dessa forma, um aplicativo de finanças ou até mesmo uma agenda pode ser útil para fazer e acompanhar os seus registros financeiros.

Não empreste seu cartão de crédito

Entenda que o único responsável pela inadimplência do cartão é o titular. Neste sentido, se um amigo ou familiar não conseguir pagar pela quantia emprestada, será você quem deverá assumir os gastos ou entrará na lista de inadimplentes de órgãos de proteção ao crédito.

Saiba que o cartão de crédito não é dinheiro extra

Ao compreender esse fato, você ficará mais próximo de ter uma vida financeira saudável. Isso porque, o dinheiro não sai da sua conta imediatamente, mas, em algum momento, a fatura deve ser paga e você precisa ter saldo suficiente para quitá-la.

Reajuste o limite do cartão de cartão de crédito

Embora essa não seja uma prática recomendada para instituições e consumidores, muitos bancos oferecem valores superiores à renda mensal de seus clientes.

Neste sentido, caso não seja possível um ajuste, entre em contato com seu banco e solicite um reajuste com base em sua situação financeira.

Evite o parcelamento de compras

O parcelamento de compras é um dos outros fatores arriscados quando falamos sobre crédito rotativo, uma vez que você compromete uma parte do seu dinheiro por meses, sem considerar que imprevistos possam acontecer. Por isso, mantenha um certo cuidado e sempre planeje!

Conclusão

Como você pode ver, essa não é uma opção vantajosa para quem está em dificuldades financeiras devido ao alto custo dos juros rotativos.

Portanto, se você não tiver saldo suficiente para pagar a fatura do cartão de crédito integralmente, considere outras formas de obter esse valor, como um empréstimo com juros mais baixos.

Esperamos ter ajudado você a entender mais sobre o que é crédito rotativo e como ele funciona. No entanto, se você ainda tiver dúvidas, escreva nos comentários. Ficaremos felizes em te ajudar!

Esse site usa cookies para melhorar a sua experiência.